sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Casanova, a casta "mãe" de algumas das mais importantes varietais do mundo é salva da beira da extinção!

Gouais Blanc, a "Eva" do mundo das uvas...

Apelidada de "Casanova", por conta de sua ancestralidade como "mãe" de várias das principais castas do mundo atual, a rara casta vinífera Gouais Blanc foi salva do perigo de extinção graças ao trabalho de voluntários suíços e de um cientista, o renomado geneticista de uvas José Vouillamoz, co-autor do livro Wine Grapes,
A Gouais Blanc ganhou notoriedade há 15 anos, quando um estudo revelou que ela era a "uva-mãe" de muitas variedades, como a Chardonnay e a Gamay. Porém, apenas algumas pequenas parcelas de vinhas dela existiam no mundo. Uma delas, escondida a mais de 1.100 metros de altitude, na região suíça do Haut-Valais, foi salva de ser arrancada por um projeto da comunidade local sob liderança do Dr. Vouillamoz.

Contando com o auxílio do enológo local Josef-Marie Chanton, Vouillamoz criou uma associação para comprar e resgatar essa vinha histórica. Após três anos de intenso trabalho para a renovação do vinhedo de apenas 0,2 hectares. plantado num declive entre 60% ​​e 70% de inclinação, contém hoje outras 12 variedades raras e foi batizado como "VinEsch", uma homenagem a aldeia vizinha.

Mantido por pequenos muros de pedra, "os 27 terraços do vinhedo de Haut-Valais são os únicos onde a Gouais Blanc foi continuamente cultivada desde a Idade Média", disse Vouillamoz para a revista inglesa Decanter.

Fonte: Decanter

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Fusão no mundo da crítica de vinhos: Antonio Galloni e Stephen Tanzer unificam sites!

Antonio Galloni (Vinous)

O mundo da crítica de vinhos continua agitado! Depois da aquisição da Wine Advocate de Robert Parker por investidores asiáticos em 2012, chegou a vez de outro negócio de peso no segmento: Antonio Galloni, ex-colaborador da Wine Advocate e dono do site Vinous, acabou de fechar a aquisição do conhecido site International Wine Cellar (IWC), comandado pelo crítico Stephen Tanzer.

Fundado a apenas 18 meses, o Vinous vai incorporar o banco de dados com mais de 180.000 comentários e mais de 1.000 artigos sobre vinhos do IWC em sua plataforma. Além disso, o próprio Stephen Tanzer e boa parte de sua equipe irão reforçar o site de Galloni. 

Stephen Tanzer (IWC)

Segundo o site da Forbes, Galloni e Tanzer são amigos há muitos anos e essa parceria foi construída naturalmente, complementando as virtudes de cada site e combinando esforços na produção de novos conteúdos e plataformas multimídia.

Dispondo agora de cinco dos principais críticos de vinhos do mundo, o Vinous, que já conta com clientes em 55 países, demonstra com essa fusão que pretende assumir uma posição de liderança na transformação da crítica de vinhos ao redor do mundo.

Fonte: Forbes/The Drinks Business

Painel de degustação: Horizontal Bordeaux 1989, celebrando o apogeu de uma grande safra na França!

 
Bordeaux 1989, 25 anos para chegar ao auge da forma vínica...

De um modo geral, o grande encanto e valor intrínseco pago pelos vinhos de Bordeaux incorpora sua exaltada capacidade de evoluir e refinar-se após uma longa e cuidadosa guarda em adega. Mesmo com os avanços modernos nas técnicas de vinificação, idealizados para deixar alguns deles mais "prontos" para o consumo logo após sua chegada ao mercado, é consenso entre os especialistas que um grande Bordeaux necessita de algo entre 15 a 25 anos de guarda para alcançar seu apogeu.

Essa degustação horizontal foi planejada exatamente para testar e certificar a veracidade por trás dessa "janela" temporal de evolução e apogeu dos Bordeaux 1989. Além do ano da safra, os únicos critérios que utilizei na seleção dos vinhos participantes foi que eles tivessem uma avaliação prévia igual ou superior a 90 pontos em uma mesma fonte de crítica (apenas a Wine Spectator tinha) e não fossem demasiado caros (para os padrões médios desses vinhos, é claro!).


Assim a degustação reuniu Château Giscours (3eme Margaux), Château Brane-Cantenac (2eme Margaux), Château Pontet-Canet (5eme Pauillac), Château Cos d'Estournel (2eme Saint-Estèphe) e Château Bourgneuf (Pomerol), todos numa faixa de preço entre R$500 e R$1.500 e notas da Wine Spectator entre 90 e 95 pontos.

Os vinhos foram abertos, decantados e aerados por uma hora antes do início da degustação. Para que não houvesse nenhuma possível influência dos rótulos no julgamento dos vinhos, eles foram servidos às cegas, visando que a avaliação do grupo fosse a mais fidedigna possível. Aliás, uma providência que trouxe uma grande surpresa logo de início. Com votações praticamente unânimes entre os 10 degustadores, o resultado final ficou assim:

5º colocado: Château Cos d'Estournel (WS93)
60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot

4º colocado: Château Bourgneuf (WS90)
90% Merlot e 10% Cabernet Franc

3º colocado: Château Pontet-Canet (WS90)
60% CS, 33% Merlot, 5% CF e 2% Petit Verdot

2º colocado: Château Brane-Cantenac (WS94)
58% CS, 35% Merlot e 7% Cabernet Franc

1º colocado: Château Giscours (WS95)
60% CS, 32% Merlot, 5% CF e 3% Petit Verdot

O resultado final, com exceção da surpreendente posição do Cos d'Estournel, praticamente corroborou a avaliação de referencia da WS e confirmou o ótimo desempenho dos vinhos de Margaux na safra de 1989, repletos de frescor, intensidade e complexidade aromática e gustativa. 

Quanto à evolução dos vinhos, a sensação geral foi de que eles ainda podem atingir alguns degraus acima, ou seja, pelo menos em safras excepcionais como esta, os tintos de Bordeaux são capazes de continuar a se desenvolver por 30 anos ou mais. Uma bela experiência!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Winetube: Verdade do Vinho < Episódio 5 > Bairrada


Neste 5º episódio do programa Verdade do Vinho os apresentadores Luís Baila e Sônia Araújo chegam à Bairrada, uma das regiões vinícolas mais tradicionais de Portugal e onde reina a Baga, uma casta de difícil vinificação, que só brilha em mãos talentosas como as do produtor Luís Pato e de outros poucos enólogos que trabalham na região. 

O programa retrata ainda a Caves São João, um bastião da vitivinicultura barradina que produz e guarda verdadeiros tesouros vínicos em suas adegas escuras e empoeiradas. Outro ponto forte da região abordado no episódio é a gastronomia, com destaque para o Leitão à Bairrada, uma iguaria mundialmente conhecida e que não encontra rival em nenhum outro lugar. 

Assista o vídeo e aprecie mais este passeio enriquecedor e bem-humorado pelas regiões vinícolas de Portugal.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Top 100 Wine Spectator: divulgada a lista completa dos 100 melhores vinhos de 2014!


Depois do tradicional suspense gerado pela contagem regressiva da divulgação dos 10 primeiros vinhos da lista deste ano (Top 10), finalmente chegou a hora de conhecer a relação completa dos 100 vinhos que compõem o Top 100 da Wine Spectator em 2014:

Rank - Vinho - Safra - Nota - Preço (EUA)
1 Dow Vintage Port 2011 99 $82 
2 Mollydooker Shiraz McLaren Vale Carnival of Love 2012 95 $75 
3 Prats & Symington Douro Chryseia 2011 97 $55 
4 Quinta do Vale Meão Douro 2011 97 $76 
5 Leeuwin Chardonnay Margaret River Art Series 2011 96 $89 
6 Castello di Ama Chianti Classico San Lorenzo Gran Selezione 2010 95 $52 
7 Clos des Papes Châteauneuf-du-Pape 2012 97 $135 
8 Brewer-Clifton Pinot Noir Sta. Rita Hills 2012 94 $40 
9 Concha y Toro Cabernet Sauvignon Puente Alto Don Melchor 2010 95 $125 
10 Château Léoville Las Cases St.-Julien 2011 95 $165 
11 Mount Eden Vineyards Chardonnay Santa Cruz Mountains 2011 95 $60 
12 Château Guiraud Sauternes 2011 97 $50 
13 Fonseca Vintage Port 2011 98 $116 
14 Fontodi Colli della Toscana Centrale Flaccianello 2011 95 $120 
15 Bedrock The Bedrock Heritage Sonoma Valley 2012 95 $42 
16 Two Hands Shiraz Barossa Valley Bella's Garden 2012 95 $69 
17 Soter Pinot Noir Yamhill-Carlton District Mineral Springs Ranch 2012 95 $60 
18 Château Doisy-Védrines Barsac 2011 95 $35 
19 Luca Malbec Uco Valley 2012 93 $32 
20 Peter Michael Chardonnay Knights Valley Ma Belle-Fille 2012 95 $90 
21 Castello di Volpaia Chianti Classico Riserva 2010 93 $29 
22 Podere Sapaio Bolgheri Volpolo 2011 93 $35 
23 St.-Cosme Châteauneuf-du-Pape 2010 96 $59 
24 Massolino Barolo 2009 95 $60 
25 Bodegas y Viñedos O. Fournier Malbec Uco Valley Alfa Crux 2010 94 $54 
26 Emeritus Pinot Noir Russian River Valley Hallberg Ranch 2011 93 $42 
27 Quinta do Portal Douro Colheita 2011 92 $15 
28 Château de Beaucastel Châteauneuf-du-Pape 2011 94 $97 
29 Hamilton Russell Pinot Noir Hemel-en-Aarde Valley 2012 93 $46 
30 DuMOL Syrah Russian River Valley 2012 94 $55 
31 Tommasi Sangiovese-CS Toscana Poggio al Tufo Rompicollo 2011 92 $18 
32 Hidden Ridge Cabernet Sauvignon Sonoma County 55% Slope 2009 93 $45 
33 Orin Swift Machete California 2012 93 $48 
34 La Rioja Alta Rioja Viña Ardanza Reserva 2005 92 $30 
35 Amavi Cabernet Sauvignon Walla Walla Valley 2011 92 $29 
36 Marcassin Pinot Noir Sonoma Coast Marcassin Vineyard 2009 97 $125 
37 Giuseppe Cortese Barbaresco Rabajà 2010 94 $55 
38 Aubert Chardonnay Russian River Valley Eastside 2012 95 $80 
39 Oddero Barolo 2010 93 $49 
40 Loosen Bros. Riesling QbA Mosel Dr. L 2012 91 $12 
41 Rombauer Chardonnay Carneros 2012 92 $34 
42 Lapostolle Clos Apalta Limited Release Colchagua Valley 2010 94 $89 
43 Charles Smith Riesling Columbia Valley Kung Fu Girl Evergreen 2013 91 $12 
44 Viña Cono Sur Cabernet Sauvignon-Carmenère Colchagua Valley 2011 91 $14 
45 Tikal Patriota Mendoza 2012 91 $23 
46 Turley Zinfandel California Juvenile 2012 91 $20 
47 Luce della Vite Toscana Luce 2011 95 $105 
48 Fincas Patagonicas Malbec Mendoza Zolo Reserve 2012 91 $19 
49 Trimbach Riesling Alsace 2012 91 $25 
50 Abadia Retuerta Castilla y León Selección Especial 2010 92 $35 
51 Giuseppe Rinaldi Barolo Brunate 2010 97 $129 
52 Herman Story Grenache California On the Road 2011 93 $42 
53 Ponzi Pinot Noir Willamette Valley Tavola 2012 91 $25 
54 Mumm Napa Brut Napa Valley Prestige NV 91 $22 
55 Veramonte Cabernet Sauvignon Colchagua Valley El Caballero 2011 90 $12 
56 João Portugal Ramos Alentejo Ramos Reserva 2012  90 $13 
57 Viña Bisquertt Syrah Colchagua Valley La Joya Gran Reserva 2012 90 $13 
58 TwentyFour Cabernet Sauvignon Napa Valley 2010 93 $112 
59 Peter Lehmann Clancy's Barossa 2011 90 $15 
60 St.-Urbans-Hof Riesling QbA Mosel Old Vines 2012 90 $16 
61 De Martino Cabernet Sauvignon Maipo Valley Legado Reserva 2011 92 $17 
62 Bodegas Montecillo Rioja Viña Cumbrero Crianza 2010 90 $10 
63 Buitenverwachting Sauvignon Blanc Constantia Bayten 2013 90 $15 
64 Cune Rioja White Monopole 2013 90 $15 
65 Ornellaia Bolgheri Superiore 2011 96 $240 
66 Fowles Shiraz Victoria Are You Game? 2012 91 $17 
67 Tohu Sauvignon Blanc Marlborough Single Vineyard 2013 90 $13 
68 Godelia Mencía Bierzo 2010 92 $21 
69 Feudo di Santa Croce Primitivo di Manduria LXXIV 2010 91 $22 
70 D. Kourtakis Assyrtiko Santorini Greek Wine Cellars 2012 90 $13 
71 Roar Pinot Noir Santa Lucia Highlands Rosella's Vineyard 2012 93 $52 
72 Château Lilian Ladouys St.-Estèphe 2011 90 $19 
73 Gérard Bertrand Syrah-Grenache Languedoc 2011 90 $19 
74 Di Majo Norante Molise Ramitello 2011 90 $18 
75 Disznókó Tokaji Aszú 5 Puttonyos 2006 94 $49 
76 Vietti Barbera d'Asti Tre Vigne 2012 90 $17 
77 E. Guigal Côte-Rôtie Château d'Ampuis 2010 97 $206 
78 Acrobat Pinot Noir Oregon 2012 90 $20 
79 Marqués de Griñon Cabernet Sauvignon Dominio de Valdepusa 2010 93 $40 
80 Nino Negri Valtellina Superiore Quadrio 2010 90 $20 
81 Domaine de Triennes Vin de Pays du Var St.-Auguste 2010 90 $20 
82 Mulderbosch Faithful Hound Stellenbosch 2011 91 $25 
83 Round Pond Estate Sauvignon Blanc Rutherford 2013 90 $24 
84 Bodegas Marqués de Murrieta Rioja Castillo Ygay GR Especial 2005 94 $89 
85 Masciarelli Montepulciano d'Abruzzo Marina Cvetic S. Martino 2010 91 $25 
86 Pali Wine Co. Pinot Noir Santa Barbara County Huntington 2012 90 $23 
87 Firriato Sicilia Santagostino Baglio Soria Red 2011 91 $23 
88 Christian Moreau Père & Fils Chablis 2012 91 $31 
89 Carol Shelton Zinfandel Mendocino County Wild Thing Old Vine 2011 90 $19 
90 Domäne Wachau Grüner Veltliner Federspiel Trocken Wachau 2012 90 $14 
91 Domaine La Barroche Châteauneuf-du-Pape Pure 2012 95 $78 
92 Vecchia Cantina di Montepulciano VN di Montepulciano Incanto 2010 90 $15 
93 Recanati Cabernet Sauvignon Galilee 2012 90 $17 
94 Château Lamartine Cahors 2011 90 $19 
95 Antonio Barbadillo Manzanilla Sanlúcar de Barrameda Solear NV 90 $15 
96 Domaine Gerovassiliou Epanomi White 2013 90 $22 
97 Tenuta delle Terre Nere Etna 2012 90 $22 
98 Domaine Terlato & Chapoutier Shiraz-Viognier Victoria 2012 90 $19 
99 Loimer Grüner Veltliner Qualitätswein Trocken Kamptal 2012 91 $22 
100 Saint Clair Pinot Noir Marlborough Pioneer Block 16 Awatere 2012 92 $31

Argentina Wine Awards 2015 inova e monta júri somente com mulheres capitaneadas por Jancis Robinson!

O reconhecimento da sensibilidade e "poder" feminino no mundo do vinho...

A Wines of Argentina, entidade responsável pela imagem do vinho argentino no mundo, acaba de apresentar ao público a edição 2015 do conceituado Argentina Wine Awards (AWA) cujo tema será: “The Empowerment of Women in Wine” (O Poder da Mulher no Vinho). Criado e planejado para avaliar e premiar a qualidade e os avanços da indústria vitivinícola argentina, o AWA ocupa atualmente o posto de concurso de vinhos mais importante do país.

A nona edição do AWA será realizada no mês de fevereiro de 2015 (entre os dias 8 e 13) na província de Mendoza, capital vitivinícola da Argentina, e vai enfatizar o empowerment (poder) feminino e o papel que a mulher desempenha dentro dessa indústria. O propósito desta edição é reconhecer o papel que a mulher exerce, em um mundo tradicionalmente masculino, outorgando inventividade e intuição à indústria em todos os aspectos. 

Hoje podemos encontrar mulheres em todas as etapas de produção do vinho, seja como enólogas, export managers, consumidoras e, especialmente, como sommeliers, onde o olfato feminino vivencia os aromas com maior intensidade e encontra com maior naturalidade o nome que este sentido identifica. Estas aptidões femininas, somadas ao júri, que conta com as referentes mais importantes do mundo vitivinícola, farão do AWA 2015 uma experiência inigualável. 
  
A edição 2015 contará com um júri de grande prestígio, capitaneado por Jancis Robinson MW (UK) e composto por nomes como Christy Canterbury MW (USA), Susan Kostrzewa (USA), Barbara Philip MW (Canadá), Sara D'Amato (Canadá), Annette Scarfe MW (Singapura/HK), Megumi Nishida (Japão), Felicity Carter (Alemanha), Essi Avellan MW (Finlândia), Cecilia Torres Salinas (Chile) e Suzana Barelli (Brasil). 

Veja o currículo das juradas do Argentine Wine Awards 2015:

Jancis Robinson (UK) MW
De acordo com a revista Decanter é a jornalista de vinhos mais respeitada no mundo. Em 1984 foi a primeira pessoa fora da indústria do vinho aprovada no exame mais rigoroso do mundo: o Master of Wine. Desde o seu site (www.JancisRobinson.com), e todas as semanas no Financial Times, escreve sobre o mundo da indústria do vinho. Em 2003, recebeu o prêmio OBE outorgado pela Rainha da Inglaterra.

Christy Canterbury (USA) MW
Jornalista, painelista e jurada de Nova Iorque. Escreve para a revista Decanter, TimAtkin.com, Wine Enthusiast, entre outros. Foi selecionada para os prêmios Louis Roederer 2014 como melhor comunicadora online do ano.

Susan Kostrzewa (USA)
Editora executiva da revista Wine Enthusiast e forma parte do painel de degustadores. É autora de numerosos livros de cozinha, viagens e vinhos como, por exemplo, Opus Vino, uma seleção das melhores regiões vitivinícolas. 

Barbara Philip (Canadá) MW
Responsável pela seleção de vinhos europeus para a British Columbia Liquor Distribution Branch (BCLDB). Com seu marido, leva à frente uma consultora de vinhos, e trabalha como apresentadora, jornalista e juíza.

Sara D'Amato (Canadá)
Consultora, sommelier, crítico de vinhos e sócia principal na WineAlign.com. Sara é colunista de vinhos para a revista Chatelaine e escreve como freelance para várias publicações. 

Annette Scarfe (Singapura/HK) MW
Trabalha como consultora independente assessorando jogadores importantes da indústria vitivinícola asiática. Também é juiz em concursos de vinho no Reino Unido, Hong Kong e França.

Megumi Nishida (Japão)
Jornalista freelance de várias revistas tais como Winart, Vinoteque, Wands, Cuisine kingdom, entre outras.

Essi Avellan (Finlândia) MW
Editora da Revista Fine Champagne, a única Revista do mundo dedicada ao mundo do Champagne.

Felicity Carter (Alemanha)
Chefe editorial da Revista Meininger´s, dedicada ao mundo do negócio do vinho a nível internacional. Também possui vasta experiência como jurada de vinhos em todo o mundo. 

Cecilia Torres Salinas: (Chile)
Referência número 1 da indústria do vinho chileno. Trabalha como enóloga em uma das vinícolas mais premiadas do Chile. 

Suzana Barelli: (Brasil)
Jornalista e Editora da Revista Menu.

Fonte: Wines of Argentina

VinGardeValise, chegou a mala de vinhos que promete ser "praticamente indestrutível"!

VinGardeValise

Uma nova mala para transporte de vinhos em viagens chegou ao mercado com a promessa de ser "praticamente indestrutível", evitando os amantes do vinho possa levar suas amadas garrafas para casa com toda a segurança possível.

A VinGardeValise é uma mala construída com policarbonato de alta resistência e forrada com espuma de grande desempenho térmico e alta densidade, capaz de transportar até 12 garrafas de vinho de 750 ml. As cavidades individuais foram projetadas com um design inteligente que permite o acondicionamento combinado de quase todos os formatos de garrafa predominantes, desde o modelo mais usual (tipo Bordeaux) até os mais bojudos ou esguios como as tradicionais da Borgonha, de Champagne ou de Rieslings.

Criada pelo designer Barry Wax, especialista em acessórios para vinho, a VinGardeValise levou quase três anos para se desenvolvida. Completamente carregada, ela pesa cerca de 20 kg e fica rigorosamente dentro dos limites habitualmente tolerados pelas companhias aéreas, especialmente as europeias. 


Disponível para venda no site da empresa, ela tem um custo entre US$202,99 (3 unidades) e US$229,99 (1 unidade). Se ela realmente cumprir o que promete, é um investimento interessante para os enófilos viajantes pelo mundo.

domingo, 16 de novembro de 2014

Os vinhos prediletos da Wine Spectator: conheça os 40 vinhos que mais apareceram no Top 100 em 25 anos!


Ao longo da semana, divulguei aqui no blog os nomes dos 10 primeiros vinhos da lista Top 100 de 2014 revelados da revista americana Wine Spectator. A lista completa será divulgada apenas amanhã, mas motivado por uma dúvida suscitada por um amigo enófilo, fiz um levantamento dos vinhos que mais vezes estiveram presentes nesta lista desde a sua primeira edição em 1988. Os dados apurados são bastante reveladores sobre as preferências dos editores da revista e podem nos dar uma boa pista dos vinhos que irão aparecer nesta edição de 2014.

Considerando que foram 2500 vinhos selecionados pela revista ao longo de 25 anos, selecionei apenas os rótulos que já apareceram pelo menos em 5 edições da lista Top 100, totalizando exatos 40* vinhos "prediletos" da publicação.

*Uma prova dessa predileção pode ser dada pela presença nesse levantamento de 3 dos vinhos Top 10 de 2014 já revelados: Mollydooker Shiraz Carnival of Love (chegando a sua 5ª indicação), Clos des Papes Châteauneuf du Pape (6 indicações) e Concha y Toro CS Don Melchor (7 indicações).

Veja a lista completa e faça as suas apostas sobre quais deles podem aparecer entre os 90 vinhos que restam para completar o Top 100 de 2014:

10 indicações
Beringer Chardonnay Napa Valley Private Reserve (1986, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1999, 2006 e 2009)

8 indicações
Two Hands Shiraz Barossa Valley Bella's Garden (2002, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2009 e 2010)

7 indicações
Caymus Cabernet Sauvignon Napa Valley Special Selection (1984, 1987, 1988, 1990, 1991, 1997 e 2010)
Concha y Toro Cabernet Sauvignon Don Melchor Private Reserve (1988, 1993, 2000, 2001, 2003, 2005 e 2010**)
Kumeu River Chardonnay Kumeu Estate (1987, 1990, 1992, 1994, 2002, 2007 e 2008)
Robert Mondavi Cabernet Sauvignon Napa Valley Reserve (1985, 1986, 1992, 1995, 1996, 1999 e 2004)

6 indicações
Alain Graillot Crozes-Hermitage (1994, 1995, 1996, 1999, 2003 e 2005)
Allegrini Verona Palazzo della Torre (1997, 1998, 1999, 2000, 2001 e 2008)
Bonneau du Martray Corton-Charlemagne (1995, 1996, 1998, 2000, 2002 e 2006)
Château Canon-La Gaffelière St.-Emilion (1990, 1993, 1998, 2008, 2009 e 2010)
Château Clerc Milon Pauillac (1986, 1988, 1989, 1990, 1995 e 2005)
Château Cos-d'Estournel St.-Estèphe (1988, 1994, 1996, 2000, 2001 e 2005)
Château Lafite Rothschild Pauillac (1985, 1990, 1994, 1995, 1999 e 2001)
Château Pichon-Longueville Baron Pauillac (1985, 1986, 1988, 1989, 1996 e 2003)
Clos des Papes Châteauneuf-du-Pape (2003, 2004, 2005, 2007, 2010 e 2012**)
Cloudy Bay Sauvignon Blanc Marlborough (1996, 1997, 1998, 2000, 2001 E 2010)
Ferrari-Carano Chardonnay Alexander Valley (1986, 1987, 1992, 1993, 1995 e 1997)
Fontodi Colli della Toscana Centrale Flaccianello (1997, 2001, 2004, 2006, 2007 e 2009)
Paul Jaboulet Aîné Hermitage La Chapelle (1985, 1989, 1990, 1995, 1998 e 2003)
Penfolds Shiraz South Australia Grange (1990, 1991, 1993, 1994, 1995 e 1996)
Peter Michael Les Pavots Knights Valley (1994, 1996, 1999, 2001, 2005 e 2008)
Tenuta dell'Ornellaia Bolgheri Ornellaia (1986, 1988, 1990, 1997, 1998 e 2004)

5 indicações
Beringer Cabernet Sauvignon Napa Valley Private Reserve (1984, 1985, 1987, 1992 e 1994)
Château de Beaucastel Châteauneuf-du-Pape (1989, 1990, 1998, 2005 e 2010)
Château Lagrange St.-Julien (1988, 1989, 1990, 2000 E 2002)
Château Latour Pauillac (1985, 1989, 1990, 1996 e 2002)
Château Lynch Bages Pauillac (1985, 1988, 19989, 1996 e 2009)
Château Margaux Margaux (1985, 1986, 1988, 1989 E 1995)
Chateau Souverain Chardonnay Sonoma County (1994, 1996, 1997, 2000 e 2002)
Chateau Ste. Michelle-Dr. Loosen Riesling Columbia Valley Eroica (1999, 2000, 2001, 2002 e 2003)
Columbia Crest Chardonnay Columbia Valley Estate Series (1995, 1997, 1998, 1999 e 2000) 
Domaine du Pégaü Châteauneuf-du-Pape Cuvée Réservée (1998, 2001, 2003, 2004 e 2010)
Domaine du Vieux Télégraphe Châteauneuf-du-Pape La Crau (1998, 2003, 2004, 2005 e 2007)
Fattoria di Felsina Chianti Classico Berardenga (1988, 1990, 1997, 1999 e 2006)
Leonetti Merlot Washington (1989, 1991, 1992, 1993 e 1994)
Mollydooker Shiraz McLaren Vale Carnival of Love (2006, 2007, 2009, 2010 e 2012**)
Rust en Vrede Stellenbosch (1996, 1998, 1999, 2000 e 2008)
Shafer Chardonnay Napa Valley Carneros Red Shoulder Ranch (1994, 1999, 2000, 2004 e 2009)
Spring Valley Uriah Walla Walla Valley (2000, 2001, 2003, 2006 e 2010)
Trimbach Riesling Alsace Cuvée Frédéric Émile (1989, 1990, 1992, 1995 e 1997)

**Indicações já incluindo o ano de 2014.

Veja alguns outros números interessantes extraídos desse levantamento:

Apesar do sucesso recente dos vinhos ibéricos (Portugal e Espanha) que tiveram a honra de ter o vinho do ano em 2013 e 2014, nenhum deles tem um vinho presente na lista. Ela se limita a 7 países (França, EUA, Itália, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul).

País com mais número de rótulos (17): França (9 de Bordeaux, 6 do Rhône, 1 da Borgonha e 1 da Alsácia)
Recordista de indicações (10): Beringer Chardonnay Napa Valley Private Reserve 
Maior sequência de indicações (6): Beringer Chardonnay Napa Valley Private Reserve (1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997).

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Top 100 Wine Spectator 2014: divulgado o vinho do ano!


Portugal está com tudo e não está prosa! Graças a magnífica qualidade da safra 2011 ela emplacou 3 vinhos, inclusive o melhor do ano, entre os quatro primeiros da 26ª edição da lista TOP 100 da revista Wine Spectator. Como não poderia ser diferente, o título coube ao grande vinho do país: o Vinho do Porto!

Dow's Vintage Port 2011
WS99 - US$82 - 5.000 caixas produzidas

Justificando a escolha, Kim Marcus, editor da WS relata que em 2011 os vinhos do Porto atingiram níveis excepcionais ​​de qualidade, onde alguns viticultores declararam-no como o melhor Vintage em 50 anos. Assim, nada menos que 25 Portos Vintage 2011 mereceram 95 pontos ou mais da Wine Spectator.

O Porto Vintage mais pontuado entre todos eles foi justamente o Dow's, com 99 pontos. Um vinho que se ergue como um monumento à qualidade e modernização do Douro. Sem ser excessivamente doce, esse Vintage 2011 oferece todos os requisitos para ter uma vida longeva e rica.

Dotado de um toque mais seco que outros portos equivalentes, com menos açúcar residual, musculoso, repleto de taninos compactos apoiados em frutas negras concentradas e notas de chocolate e especiarias, o Dow's 2011 tem um final de boca quase infinito. 

Por sua combinação de potência, qualidade e preço justo, além de ter sido considerado o melhor Vintage dessa safra incrível, ele foi justamente escolhido como o vinho nº 1 entre os TOP 100 de 2014.

Direto da Taça: Salton Volpi Pinot Noir, um dos rótulos de melhor relação preço x qualidade do Brasil!

Salton Volpi Pinot Noir 2009

Posso até estar esquecendo de algum outro vinho nacional equivalente a este, mas eu considero esse Pinot Noir da vinícola Salton como a maior "pechincha" do mercado de vinhos no Brasil. Isso não chega a ser um grande segredo ou descoberta para muitos enófilos acostumados a bebê-lo em seu dia a dia, mas depois de ter bebido várias safras consecutivas desse rótulo, me sinto seguro para compartilhar essa afirmação.

Ontem à noite, depois de um longo dia de trabalho, decidi abrir uma garrafa da safra 2009 que estava reservada na adega para um teste de longa guarda. Ela acabou sucumbindo ao meu desejo de beber uma ou duas taças de um tinto que fosse levemente frutado, refrescante e simples (mas sem abrir mão de uma boa dose de elegância).

Depois de uma rápida busca nas prateleiras da adega e decidido por um Pinot Noir, separei um Tormentas Fulvia 2012 do Atelier Tormentas e um Marsannay 2011 do René Bouvier para escolher um deles. Porém, como já era tarde e eu só desejava beber uma pequena quantidade de vinho, tive uma certa dose de usura para abrir um deles. A solução foi partir para a garrafa do Salton Volpi PN 2009 que cruzou com o meu olhar durante a busca na adega. 

Apesar de não querer beber muito, quando me dei conta, quase metade da garrafa tinha se esvaído. Parando um pouco para entender o por quê daquela "sede" toda, só pude explicá-la com uma sutil combinação de delicadeza, frescor e equilíbrio que se adequaram com perfeição naquele momento.

Somando essa ótima impressão à todas as outras anteriores, não posso me furtar de dizer que o Pinot Noir da linha Volpi da Salton é um dos vinhos nacionais mais admiráveis à disposição do consumidor brasileiro. E o melhor, custando justíssimos R$25,00 na loja virtual da vinícola, mas também facilmente encontrados nas lojas e supermercados de todo o país por um valor semelhante. Grande compra!