sábado, 19 de abril de 2014

Direto da Adega: Catena Zapata Alta Malbec 2004, uma década que passou como se fosse apenas um ano em Júpiter!

Catena Alta Malbec 2004, quase nenhum vestígio da passagem do tempo...

Por conta da passagem do Malbec World Day no último dia 17 de abril, data escolhida pelos argentinos para homenagear sua casta mais emblemática, decidi abrir uma de minhas duas últimas garrafas de Catena Alta Malbec 2004, um rótulo clássico daquela que certamente é a mais renomada e reconhecida vinícola do país.

Produzido a partir de uvas oriundas dos melhores vinhedos de altura da vinícola Catena (Angélica, La Pirámide, Nicasia e Adrianna, que variam de 874 a 1470 metros de altitude) e delicadamente amadurecido em barricas de carvalho francês (majoritariamente novo), esse 2004 impressionou desde o início. 

Perfeitamente conservado por quase uma década na adega (o estado da rolha diz muito sobre isso...), esse Catena Alta me deu a impressão de ter sido produzido, no máximo, há duas ou três colheitas atrás, já que era dotado de uma coloração violeta, quase negra e intransponível à luz.

A concentração observada no visual veio seguida de uma óbvia exuberância aromática, rica em frutas negras, alcaçuz e chocolate amargo, que só evoluíram para algo mais depois de umas duas horas de aeração no decanter. Surgiram então as notas de grafite, terra úmida e "caixa de charuto" que puderam dar alguma indicação de sua idade, algo que curiosamente preocupava várias pessoas que viram a foto publicada no meu Instagram e julgavam que ele pudesse estar evoluído demais. Certamente não é o caso desse vinho.

No paladar ele se revelou mais uma vez tremendamente jovial, com taninos perfeitamente maduros (e quase doces), presença de madeira quase imperceptível, boa dose de acidez e um corpo muito agradável, formando um conjunto bem afinado e fácil de beber, mesmo considerando sua grande concentração gustativa.

Dotado de um final de boca macio e extremamente longo, fica fácil de entender sua aclamação na época de seu lançamento, figurando entre os Top 100 da revista Wine Spectator em 2007 e merecendo um 94 pontos de Robert Parker, numa época em que Jay Miller e suas notas infladas ainda não tinha chegado na Argentina. Grande vinho, sem dúvida! Se você é um feliz proprietário de alguma(s) dessas garrafas, fique tranquilo, pode guardá-las por mais uma década, como se ele estivesse adegado em Júpiter (onde um ano equivale a quase 12 dos nossos na Terra).

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Malbec, Côt, Auxerrois ou Pressac: Celebre o Dia Mundial da Malbec!


Não importa qual o nome ou sinônimo você usa para denominar a exuberante casta de origem francesa Malbec. Durante a semana e especialmente neste 17 de abril de 2014, a casta que se transformou num símbolo da vitivinicultura argentina está em festa! 

Com o inspirado tema "Malbec Making Noise", mais uma vez uma série de eventos estão ocorrendo nas principais cidades do mundo, inclusive no Brasil, onde o vinho faz parte da arte de celebrar a vida e de se combinar com a gastronomia local, para homenagear esta importante variedade de uva que quase desapareceu em seu berço de origem.

Aproveite a ocasião para participar de um desses eventos espalhados por aí e que devem se prolongar pelo final de semana (veja o calendário em www.malbecworldday.com) ou reúna seus amigos em torno de uma boa garrafa de malbec argentino (eles não vão ficar zangados se você abrir também um Cahors do sudoeste francês...) e aprecie todo o prazer sensorial que ela pode lhe proporcionar. Salud!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Vinho em lata (de tinta!) é lançado na França...


Valendo-se do argumento de os vinhos tintos mancham os dentes, a McCann Vilnius, a mais antiga agência de publicidade na Lituânia, idealizou um vinho para ser acondicionado em galões convencionais de tinta.

O "Couleur Nouveau", apresentado numa chamativa lata de tinta roxa, é na verdade um vinho feito para coincidir com o lançamento anual do Beaujolais Nouveau.

Buscando expandir as fronteiras das embalagens de vinho e de oferecer uma nova perspectiva para elas, a agência ridiculariza a capacidade do vinho para "pintar" nossos dentes.


A embalagem apresenta uma cartela de cores em sua parte traseira, indicando qual cor que seus dentes ficarão, dependendo de quantos copos de vinho você tiver bebido.

Segundo a McCann Vilnius, as latas de edição limitada tornaram-se um "sucesso instantâneo". Concebidas como um grande golpe promocional, as latas foram forradas com plástico especial para não estragar o vinho contido nelas.

Fonte: The Drinks Business

terça-feira, 15 de abril de 2014

Terroir Vinhedos Exclusivos: conheça através de imagens 3D o primeiro condomínio vitivinícola do Brasil!

Portal de entrada do Terroir Vinhedos Exclusivos

O Rio Grande do Sul será contemplado com o primeiro condomínio vitivinícola de luxo do País: O Terroir Vinhedos Exclusivos. O projeto, uma parceria da Lex Empreendimentos Imobiliários e da M. Stortti Consultoria, conta com o apoio técnico da Vinícola Geisse e merecerá investimentos de R$ 30 milhões de reais. 

Sugestão de projeto residencial integrado à paisagem

Numa primeira fase, serão 58 lotes de, em média, mil metros quadrados, e caves próprias para a produção de vinho espumante para cada unidade, que levarão a assinatura do renomado escritório de arquitetura Bórmida y Yanzón, com sede em Mendoza (Argentina), onde realizaram projetos fabulosos como os das vinícolas O. Fournier, Salentein e Norton. 

Hotel Boutique

Nas instalações do empreendimento, haverá também um Hotel Boutique, com 26 unidades habitacionais e ampla infraestrutura de lazer e de serviços à disposição, tanto dos hóspedes quanto dos condôminos proprietários. Além de contar com uma belíssima vista dos vinhedos, os proprietários e visitantes terão, no local, acesso à biblioteca, sala de jogos, sala de cinema, sala de contemplação, academia de ginástica, piscina, sauna, área de massagens, quadras esportivas, um completo playground, entre outros atrativos e serviços.

Espaço Gourmet

O Terroir Vinhedos Exclusivos foi concebido nos mesmos moldes de outros empreendimentos internacionais já instalados com sucesso na Argentina e em Portugal. O acesso ao local será feito pela RS-444 e pela Estrada do Vinho, percorrendo ainda 1,2 km da Linha Graciema, no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul.  

Mirante

A região, além de reverenciada pela produção de vinhos e espumantes de qualidade conta com estrutura enoturística. Há várias opções para os amantes da boa gastronomia, além de lindas paisagens. São roteiros conhecidos como: Estrada do Sabor, Rota dos Espumantes e a Rota das Cantinas.

Interior das Caves

O diferencial do Terroir Vinhedos Exclusivos, sem dúvida, será a produção de espumantes de qualidade, com a personalidade de cada condômino. O projeto contará com vinhedos encostados ao condomínio. Os proprietários dos lotes não comprarão só uma propriedade, mas ingressarão numa experiência única. Poderão contemplar os vinhedos e todo o processo de elaboração dos vinhos desde a plantação.  Cada condômino terá direito a cerca de 600 garrafas de espumantes por ano, com sua própria personalidade. Isso porque a vinificação do produto será feita na Vinícola Geisse, que está dando todo apoio técnico ao projeto, mas o processo final ficará a cargo de cada proprietário. 

Wine Club

Além disso, os condôminos, de forma exclusiva, poderão participar de um curso na Vinícola Geisse e aprender a elaborar seus próprios espumantes. Serão cursos onde eles conhecerão o processo em cada uma das etapas de produção. “O grande diferencial do empreendimento será a assessoria da Família Geisse para executar a proposta conceitual do projeto. Assim, a expertise no segmento vitivinícola será incorporada à estrutura do condomínio, ficando disponível aos condôminos”, ressalta Maurenio Stortti, diretor da M.Stortti.

O preço desse sonho para enófilos? A partir de R$450.000, variando de acordo com o tamanho e a localização do lote.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Sem sulfitos: Lançado o primeiro Prosecco sem adição de SO2!

Depois de muitos anos de pesquisa e avaliações, a Bisol, renomada produtora de vinhos espumantes do Veneto, especializada em Proseccos, acaba de lançar uma versão absolutamente isenta de dióxido de enxofre (SO2) no mercado. 

Destinado para aqueles consumidores sensíveis à presença de sulfitos nos vinhos, esse Prosecco preserva ao máximo a elegância, a autenticidade e a longevidade deste tipo de espumante. 

Acondicionado numa inusitada garrafa revestida com uma camada de alumínio para protegê-lo da luz, o vinho é feito a partir das uvas da casta Glera, cultivadas e colhidas à mão nas íngremes encostas das montanhas da região do Valdobbiadene. 

O fato de ser um vinho de consumo imediato certamente facilitou as coisas para sua produção. Além de agradar os alérgicos, esse espumante certamente vai atrair aquele grupo de apreciadores que busca por vinhos com mínima intervenção do homem e sem quaisquer aditivos químicos. 

domingo, 13 de abril de 2014

A “taça” de vinho mais cara do mundo é chinesa... E tem 500 anos de idade!


Uma rara peça de porcelana da dinastia Ming usada para beber vinho e conhecida como "chicken cup", graças aos desenhos de um galo, uma galinha e um pintinho, foi vendida por um preço recorde de US$36,05 milhões de dólares num leilão da Sotheby's dedicado a arte asiática em Hong Kong para o magnata de Xangai e colecionador de arte Liu Yiqian.

A pequena taça, de apenas 3,1 polegadas de diâmetro, foi confeccionada durante o reinado do Imperador Chenghua entre 1465 e 1487, dos quais estima-se que que existam apenas 17 exemplares no mundo, 4 deles em coleções particulares.

Por esse valor, só os Romanée-Conti e Pétrus estão à altura de serem degustados nessa "taça" de vinho...

sábado, 12 de abril de 2014

7º Concurso Internacional de Vinhos do Brasil divulga os rótulos premiados!


O 7º Concurso Internacional de Vinhos do Brasil consolidou-se como o maior da América Latina e um dos mais reconhecidos do mundo. Nessa edição, a maior de sua história, o evento avaliou 709 amostras de 18 países (África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Bolívia, Brasil, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Hungria, Israel, Itália, México, Nova Zelândia, Portugal e Uruguai), um aumento de 41% em relação a edição anterior, comprovando o tamanho do mercado e do setor vitivinícola brasileiro. 

Realizado de 8 a 11 de abril no Hotel e SPA do Vinho, no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha, reuniu um painel internacional de 66 degustadores de 11 países, que concederam 212 medalhas, sendo 88 de Ouro e 124 de Prata, somando 30% do total de amostras inscritas conforme rege as normas internacionais.


Único no Brasil com a chancela da Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE), o concurso é promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), em parceria com a INNER Editora, responsável pela publicação da Revista Adega, Almanaque do Vinho e Guia Adega Vinhos do Brasil. 

Conheça a relação completa dos vinhos premiados no evento (em PDF):

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Bordeaux 2013: os 10 melhores e os 10 mais decepcionantes vinhos de uma safra muito problemática!

Bordeaux 2013, a pior safra desde 2007...

Apesar de adjetivos contrastantes que vão desde "áspera" e "esquelética" até "encantadora" e "agradável", não há como esconder a decepção generalizada diante da qualidade da safra 2013 em Bordeaux. Como sempre acontece em anos assim, alguns bons produtores tiram "vinho de pedra" e conseguem elaborar vinhos acima das expectativas. Por outro lado, alguns dos melhores châteaux se enredam por um caminho sem volta e fazem vinhos realmente decepcionantes.

Uma pesquisa realizada pelo Liv-Ex, disponível em PDF logo abaixo, selecionou uma lista com os 10 vinhos que mais agradaram os avaliadores e os 10 que mais os decepcionaram:

 Top 10 da safra 2013
Château d'Yquem
Château Mouton-Rothschild
Château Margaux
Château Ausone
Château Cos d'Estournel
Château Pichon Lalande-
Château Pétrus
Château Latour
Château Haut-Brion
Old Castle Certan

As 10 maiores decepções
Château Margaux *
Château Lafite-Rothschild
Château Cheval Blanc
Château Haut-Brion *
Château Lascombes
Château La Mission Haut-Brion
Carruades de Lafite
Château Ducru-Beaucaillou
Château Pontet-Canet
Château Palmer

* Antes que você se pergunte se não há um erro nessas listas, já que os châteaux Margaux e Haut-Brion aparecem em ambas, saiba que não é esse o caso. Apesar de ter sido o 3º vinho que mais agradou na pesquisa, o Château Margaux também foi o que mais decepcionou, deixando bem clara a grande divisão de opiniões sobre essa safra tão difícil.

Veja o resumo da pesquisa realizada pelo Liv-Ex com os comerciantes de Bordeaux (em PDF):

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Recall no mundo do vinho: Vega Sicilia vai recolher 100 mil garrafas de Pintia 2009!

Pintia 2009: lamentavelmente perdido...

A renomada vinícola espanhola Vega Sicilia necessitou realizar um incomum "recall" de vinhos, no caso, de cerca de 100 mil garrafas de Pintia da safra 2009. Produzido em Toro, o Pintia apresentou níveis muito acima do normal de sedimentos e excesso de antocianinas, obrigando a vinícola a recolher todas as garrafas vendidas e oferecer uma troca por outras da safra anterior (2008) ou da seguinte (2010).

A causa do problema já foi detectada pela Vega Sicilia e foi uma  decorrência da falha no processo de clarificação durante a vinificação. De acordo com as informações divulgadas pela vinícola, outro rótulo produzido por eles, o Alion 2010, apresentou o mesmo problema e também não será liberado para o mercado, gerando um prejuízo total de alguns milhões de euros e aproximadamente 500.000 garrafas perdidas. 

Uma grande perda também para todos os apreciadores destes grandes vinhos da Espanha....

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Chile: de Elqui a Malleco, de norte a sul, a descoberta de novos terroirs e grandes vinhos!

Chile e seus vales vinícolas

Durante dois dias de muita informação sobre a viticultura, o enoturismo, a gastronomia e degustação de mais de 60 vinhos, o seminário Chilean Wine Ambassador, promovido pela Terruares, Top Winemakers e ProChile, apresentou para um grande grupo de jornalistas e sommeliers a intensa transformação pela qual a indústria vitivinícola chilena vem passando nos últimos anos.

Sob a batuta de enólogos renomados como Pablo Morandé e Mário Geisse, percorremos metodicamente cada um dos 13 vales onde a cultura vitícola se desenvolve no país, conhecendo suas peculiaridades na produção de vinhos e descobrindo na degustação dos melhores vinhos de cada região, o incrível potencial que eles tem para oferecer.

Se por um lado temos vales já consagrados na produção de vinhos como o Maipo, Casablanca, Colchagua ou Maule, e de outro temos vales menos conhecidos (Limari, Bio Bio e Malleco) e de pouca tradição, todos eles compartilham da mesma busca: encontrar o terroir ideal para cada casta, cada estilo de vinho que se possa produzir neste privilegiado país.

A prova dos vinhos deixou a nítida sensação que os produtores e enólogos chilenos estão seguindo na direção certa, que a maior parte do trabalho e investimento realizado está dando os frutos desejados. Dentre todas as amostras provadas, destaquei os melhores vinhos de cada um dos vales, alguns bem reconhecidos, enquanto outros são belíssimas novidades:

Valle de Elqui
Vina San Pedro Kankana Syrah 2010
Justificando o ótimo potencial desta casta na região

Valle de Limari
Talinay Sauvignon Blanc 2012*
Muito frescor e aromas exóticos

Valle de Aconcagua
Errazuriz Don Maximiano 2011
O clássico de sempre!

Viña Von Siebenthal Toknar 2008
Petit Verdot 100% que sustenta um grande vinho

Valle del Maipo
Concha y Toro Don Melchor 2009
Cada vez mais refinado...
Santa Rita Casa Real 2010
Meu eterno predileto do Maipo
Concha y Toro Gravas de Maipo 2008
Indiscutivelmente o melhor Syrah chileno que já degustei...

Valle de Casablanca
Bodegas RE Chardonnoir 2011
Um surpreendente blend de "champagne" tranquilo
Cono Sur Ocio Pinot Noir 2011
Equilíbrio perfeito entre fruta e frescor no paladar

Valle de San Antonio
Casa Marin Sauvignon Blanc Los Cipreses 2011
O Chile ainda não produziu um Sauvignon Blanc melhor do que ele...

Valle de Leyda
Undurraga Terroir Hunter Pinot Noir 2012
O meticuloso trabalho de identificação de micro-terroirs de Pedro Parra dando frutos

Valle Cachapoal
Concha y Toro Terrunyo Carmenère 2008
O terroir de Peumo faz a diferença quanto o assunto é Carmenère...

Valle Colchagua
Montes Folly Syrah 2011
Mais um Syrah espetacular!

Valle del Maule
Morandé Edición Limitada Black Mediterrâneo 2011
Magnífico blend de castas tintas e brancas do Mediterrâneo!
Bodegas RE RE-Nace Carignan 2011
O grande vinho do evento, elaborado em "viejas tinajas" de argila que pertenceram ao avô do enólogo Pablo Morande e foram recuperadas por ele para fazer esse vinho excepcional.

Vale de Itata
De Martino Cinsault Viejas Tinajas 2013
Mais um vinho elaborado em "tinajas" que impressiona pelo frescor e equilíbrio

Valle Malleco
Vina Aquitânia Sol de Sol Chardonnay 2009
O melhor vinho branco do evento

* Um agradecimento especial ao amigo Gustavo Kauffman, do blog Enoleigos pela cessão de algumas fotos para esta postagem e pela companhia na avaliação ponderada desses ótimos vinhos do Chile.