sexta-feira, 4 de maio de 2012

Direto da Adega: Concha y Toro Don Melchor 2006, a pura essência da CS no Maipo!


Apesar dos recentes lançamentos de vinhos premium da Concha y Toro, como o Carmín de Peumo (safra 2003) e o Gravas de Maipo (safra 2007), o Don Melchor continua ocupar seu lugar de destaque na vínicola após 21 safras desde que foi lançado em 1987.

Este é um vinho com o qual tenho uma relação muito especial: ainda me lembro de, em 1999, percorrer as prateleiras do supermercado Jumbo, no Chile, atrás de uma garrafa deste vinho (num tempo em que nem haviam as grandes lojas de hoje...) e da maravilhosa degustação vertical realizada em 2001, na Pedra Azul (ES), quando pude degustar as 10 primeiras safras deste vinho (1987-1996) e provar o recém-lançado 1997. Desde então, o tenho degustado com frequência (tive a sorte de degustar todas até a 2007), mas já haviam uns dois anos que não o bebia. Ontem à noite, corrigi esta "falha" e abri uma garrafa de 2006 (que obteve a maior nota de Robert Parker até hoje: 95 pontos).

Impressões de degustação:
Apesar de ter chegado ao seu 6º ano de vida, o vinho mostrou uma cor rubi média bastante translúcida e já apresentando um leve halo de evolução. Após uma breve passagem pelo decanter (30 min), ofereceu intensos aromas de frutas negras (ameixa e cassis), couro, café e tabaco, complementadas pelas típicas notas mentoladas do Maipo, que resultaram num conjunto aromático de grande complexidade. Na boca, exibiu toda a potência da Cabernet Sauvignon (complementada com 4% de Cabernet Franc) sem perder o refinado equilíbrio pretendido. A acidez e taninos estavam em tão perfeita sintonia que tornaram o elevado teor alcoólico (14,5%) quase imperceptível durante a sua degustação. Com um final de boca longo e sedoso, me deixou a impressão de estar prontíssimo e realmente ser um dos melhores DM que já bebi. Nota: 96 pontos (VCT - R$348 - safra 2007).


Postar um comentário