sábado, 14 de abril de 2012

Muito além do ABC (Amarone, Barolo e Chianti), 10 terroirs italianos que você deveria experimentar! 2ª parte: Moscato d'Asti

Não é por acaso que a Itália é chamada de Enótria, a terra do vinho! O país abriga um imenso e diversificado patrimônio de castas, microclimas e métodos de elaboração de vinhos que vão muito além de seu trio de maior renome internacional: (A)marone, (B)arolo e (C)hianti, oriundos das três principais zonas do país: Veneto, Piemonte e Toscana, mas pouquíssimo difundidos fora de suas áreas de produção.
Ciente de tamanho "ostracismo", Richard Baudains, um dos coordenadores da seção italiana do Decanter World Wine Awards, selecionou 10 destes terrois pouco conhecidos, raros de se encontrar ou até mesmo menosprezados, que são verdadeiros tesouros da vitivinicultura italiana.
Depois de apresentar a quase extinta DOC Carema seguiremos, ainda no Piemonte, para a DOCG Moscato d'Asti, muito conhecida também pelo barato e industrial Asti Spumante, muito aquém dos seletos Moscatos d'Asti lá produzidos:

Moscato d'Asti DOCG (Piemonte)
Elaborado com a histórica casta que dá nome a denominação, este delicado vinho é feito com uvas altamente selecionadas de vinhas especiais, trabalhadas por vinhateiros experientes em vinícolas quase sempre familiares.
O Moscato d'Asti é um vinho suave, pleno de frutas e aromas, mas que é erroneamente combinado com sobremesas cremosas (tortas e sorvetes, principalmente). Na verdade, diante de seu estilo fresco e floral, harmoniza-se muito mais com figos verdes, morangos e até mesmo com queijos à base de leite de cabra.

Fonte: inspirado e adaptado da edição de abril de 2012 da Decanter
Postar um comentário